NOTÍCIAS

/ NOTÍCIAS

A importância da publicação de vídeo em direto nas redes sociais
07 Ago 2018

Cada vez mais as publicações de vídeo em direto, nas redes sociais, são uma aposta por parte das empresas.
A transmissão de vídeo em direto é uma proposição de valor que permite às empresas/marcas “relacionarem-se” com os clientes de uma forma mais próxima.
Ao contrário do vídeo gravado, em que cada um vê quando quer, os vídeos de transmissão direta criam outro envolvimento com os utilizadores, havendo uma união entre todos à volta da transmissão, à semelhança do que acontece com grandes eventos televisivos.

A transmissão em direto permite conceber conteúdos mais criativos, deixando espaço ao imprevisto e improviso que a edição para um vídeo gravado elimina. Assim, um vídeo direto tem os elementos humano e erro em jogo, permitindo algo mais rico, ao invés da esterilidade do gravado. Com a transmissão direta, há ainda a possibilidade de interação entre o cliente e a marca, criando uma ligação mais estreita. A interação mútua humaniza a marca, fazendo-a descer do pedestal.

Contudo, e embora as redes sociais estejam a investir bastante neste meio, é necessário saber quando e o que a audiência quer ver, e em que rede social. Para dar resposta a estas questões existem as agências de Marketing Digital, como a Flybizz.

Este é, portanto, um meio que tem sido tendência ao longo deste ano e que continuará a ser ao longo do tempo. O retorno do investimento feito pelas empresas tem sido positivo, o que fará com que continue a ter grande utilização.

Alguns factos, baseados em estudos, sobre a transmissão de vídeo em direto:

• Empresas que fazem transmissão em direto de vídeos dos seus eventos, tiveram um aumento de 23% da sua taxa de conversão da visualização remota que mais tarde viram os eventos ao vivo;
• Os utilizadores das redes sociais passam 3 vezes mais tempo a ver vídeos de transmissão direta e comentam 10 vezes mais, comparando ao vídeo gravado;
• 80% das pessoas preferem ver um vídeo em direto do que ler um blogue e 82% preferem ver um vídeo em direto a ler publicações.