NOTÍCIAS

/ NOTÍCIAS

5 tendências de Webdesign para 2020
09 Jan 2020

No nosso último artigo falámos sobre tendências de design para este ano e, apesar destas se transporem para o webdesign, existem tendências específicas desta última área que a sua empresa deve conhecer. Por isso, partilhe este artigo com os seus designers e programadores e mãos à obra!

 

1. Navegação simples e minimalista

 

Esta tendência pode ser resumida de uma forma muito simples: facilidade de navegação. Os consumidores já não perdem tempo com websites lentos e onde não conseguem encontrar o que precisam à primeira vista. Se o site não carrega ou não está bem organizado, as pessoas saem e procuram outro, muito provavelmente da sua concorrência. Por isso, é crucial que ofereça uma experiência intuitiva aos seus clientes/potenciais clientes, apostando em designs minimalistas. Tenha em mente que, nos dias de hoje, menos é mais.

 

Adicionalmente, os webdesigners têm vindo a focar-se mais na precisão dos conteúdos, em vez da sua descrição. Já ninguém quer navegar num website repleto de texto, mas sim repleto de imagens e vídeos. A tendência será apostar principalmente em imagens de maior escala, inclusive, a divisão do ecrã em duas imagens distintas, com integração de diferentes efeitos.

 

 

2. Interatividade, movimento e imperfeição

 

O que vem complexificar o webdesign é a necessidade de proporcionar interação aos utilizadores. Já não basta ter apenas imagens e vídeos. O que realmente tem levado os consumidores a passarem mais tempo num website são as ilustrações (muitas vezes criadas à medida da empresa), os gráficos com live data, as animações e, claro, os GIFs. Abordámos com mais detalhe todas estas trends no último artigo.

 

Por outro lado, se a sua ideia é desenvolver um website com texto justificado, utilizando sempre o mesmo tipo de letra e imagens alinhadas, então precisa mesmo de entender que tudo isso ficou lá atrás. Designs imperfeitos, com ilustrações desenhadas à mão e elementos sobrepostos conferem humanidade ao seu site, e é este tipo de sentimento que os seus clientes procuram. Inclua sombras suaves, sobreponha molduras de texto e imagem, desenhe ícones à mão e aposte em elementos flutuantes que dão profundidade ao seu design. Esta é também uma oportunidade de comunicar a personalidade da sua marca de forma diferenciada da concorrência.

 

 

3. Grelhas CSS

 

Os tempos em que os web designers e programadores tinham que desenvolver várias versões de um mesmo website – cada uma adaptada a cada dispositivo – passou à história. Graças às grelhas CSS, atualmente, estes apenas necessitam de criar uma única versão, que se adaptará ao tipo de dispositivo que o utilizador tem. Isto é, quando aceder ao website de uma determinada marca através do seu telemóvel, o aspeto visual irá ajustar-se ao seu dispositivo, tal como se ajustaria se utilizasse um tablet, por exemplo.

 

Em suma, estas grelhas oferecem flexibilidade aos sites, garantindo a mesma qualidade a todos os utilizadores, o que se torna crucial numa era em que a grande maioria destes navega na Internet através de dispositivos móveis. O próprio Google já sublinhou que dá prioridade a websites que estejam aptos a ser navegados nesses dispositivos.

 

 

4. Interfaces de voz

 

Pelas mesmas razões que os utilizadores querem websites rápidos e de fácil navegação, estes também têm exigido que as marcas apostem cada vez mais na voz em vez de texto. A ideia-chave é poupar tempo, por isso, nada melhor do que falar para o telemóvel em vez de escrever aquilo que se procura. Por outro lado, a pesquisa por voz também oferece uma experiência mais personalizada. Apesar desta tendência ainda estar nos seus primórdios prevê-se que será a mais importante em 2020.

 

 

5. Articulação de inteligência artificial e machine learning

 

Com a ajuda desta articulação, os designers e programadores poderão desenvolver landing pages mais personalizadas e direcionadas para um público-alvo mais restrito, isto porque terão maior facilidade de recolher os detalhes desse público com base no seu histórico de pesquisas, localização, entre outros dados.

 

Assim, conseguem desenvolver websites que vão exatamente de encontro aos que as pessoas procuram. Aliás, através de sistemas automáticos de inteligência artificial, estes conseguem decifrar o que os seus clientes querem mesmo antes deles próprios saberem.

 

 

Estas são apenas algumas das ideias que poderá começar a implementar no seu website. No entanto, existem muitas outras tendências de design gráfico que deverá aproveitar – desde o dark mode, às paletes de cores futurísticas – e que pode ler na nossa última notícia. O ideal é conseguir conjugar todas estas novidades e criar um equilíbrio (im)perfeito entre estas.